M.Almeida Artesanato Etnográfico

sábado, fevereiro 10, 2007

Moinho ou Azenha de Rodízio Horizontal

Movido pela força da água dos rios e ribeiros, encaminhada por valas (levadas) construídas para o efeito. O rodízio horizontal formado por eixo ou pela, onde eram encaixadas as penas feitas em madeira constituíam uma verdadeira obra de arte pela maneira e modelos, como as penas eram feitas. Como o rodízio trabalhava horizontalmente, o veio era directo do rodízio às mós, pelo que não necessitavam de qualquer tipo de engrenagem ou carretos como nos moinhos de rodízio vertical ou roda. Também trabalhavam dentro do próprio edifício que consistia a azenha, na parte inferior do sobrado ou cave, ao contrário do rodízio vertical que era movido num dos lados da azenha, junto a uma parede, cujo veio atravessava a parede para o interior.

2 Comments:

  • At 11:56 da manhã, Blogger João said…

    Bom dia.O meu nome é João Garcia e estou a trabalhar no Centro de Monitorização e interpretação Ambiental de Vila do Conde.
    estamos a organizar uma exposição sobre Moinhos e ao visitar o seu blog verificamos que tem uma Maquete de um Moinho de Rodízio.
    Gostaria de saber qual é a sua disponibilidade para nos ceder esta e/ou outras maquetes para exposição nas nossas instalações durante o período de exposição(22 de Jan a 18 de Abril).
    Se possível envie-nos um email para cmia-viladconde@sapo.pt que entraremos em contacto consigo.
    Obrigado e até breve
    A equipa técnica do CMIA-Vila do Conde

     
  • At 4:36 da tarde, Blogger Educativo said…

    Olá seu Manoel!!!
    Que satisfação de encontrar um trabalho tão bonito e IMPORTANTE quanto o seu!
    Meu nome é André Greati. Sou do Brasil, São Paulo, e trabalho no serviço educativo da Casa do Bandeirante, Museu da cidade de São Paulo.
    Temos em nosso espaço, um moinho de rodízio horizontal, ou melhor, só a parte de cima dele.
    Por não estar completo, e eu diria até abandonado, e não termos informações específicas sobre ele, sempre tivemos curiosidade acerca do deste equipamento.
    Sito a falta de trabalhos como o seu, para ilustrar a visita de tantas crianças que recebemos em excursões, para manter viva a memória das nossas raízes.
    Seria ótimo se tivéssemos maquetes como essa para vermos o que os livros descrevem com palavras.Uma experiência que enriqueceria muito o aprendizado de todos.
    Lamento não podermos ver pessoalmente sua arte devido à distância, mas voto que continue seu trabalho talentoso.
    nosso e-mail é: museudacidadebandeirante@gmail.com
    Se quiser entrar em contato para maiores informações.
    Abraços.

     

Enviar um comentário

<< Home